quarta-feira, 7 de agosto de 2019

QUAL A DOENÇA DO GATEN MATARAZZO, O DUSTIN DE STRANGER THINGS?

21:07

Gaten Matarazzo sofre com a displasia cleidocraniana, uma doença rara provocada por um defeito em um gene e que afeta principalmente a formação dos ossos e dos dentes. Geralmente, o paciente é baixo e apresenta aspecto de prognata (queixo grande). Os ossos do crânio também podem ficar aumentados, dando às pessoas uma aparência de "cabeça grande" em decorrência do maxilar menor. Também causa alterações de desenvolvimento envolvendo praticamente todo o esqueleto. A síndrome pode alterar a mastigação e a fala.

O diagnóstico costuma ser feito ainda na infância por um odontopediatra e, geralmente, está relacionado ao relato dos pais de um atraso na erupção da dentição permanente. O tratamento consiste na retirada dos dentes de leite e daqueles que estão a mais na boca, e realocação da dentição.

A doença é considerada de herança autossômica dominante, ou seja, que está presente em todas as gerações de uma família. No entanto, entre 20% e 40% das ocorrências pode haver uma mutação espontânea que acabe acarretando no problema.

Como a extração dos dentes temporários não acelera a erupção dos que permanecerão, é preciso fazer um planejamento para o desenvolvimento dos permanentes. Para acompanhar os espaços da boca e o posicionamento correto da dentição, é necessário um tratamento ortodôntico concomitante. Como resultado podemos esperar uma sequência de erupção quase normal, apenas com atraso. Apesar do estranhamento pela possível falta de dentes, a patologia não é considerada grave:


O risco principal é de os dentes em excesso levarem ao desenvolvimento de cistos intra-ósseos, que é quando se cria uma espécie de buraco no entorno do dente, causando uma destruição óssea relativamente grande. Fora isso, a pessoa pode desenvolver problemas de mastigação, respiratórios, e estéticos, pois os dentes e os maxilares influenciam diretamente todas essas funções.


Fonte:

SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO

21:03


O QUE É?

A síndrome do túnel do carpo é uma neuropatia periférica resultante da compressão do nervo mediano quando este passa por um no canal localizado no punho chamado de túnel do carpo. É uma doença comum nos consultórios de ortopedia, sendo mais comum em mulheres na faixa etária dos 30 aos 60 anos e pode ser bilateral em 50-60% dos casos.

CAUSAS

A causa principal da síndrome do túnel do carpo é a L.E.R. (Lesão do Esforço Repetitivo), gerada por movimentos repetitivos como digitar ou tocar instrumentos musicais. Existem também causas traumáticas (quedas e fraturas), inflamatórias (artrite reumatoide), hormonais e medicamentosas. Tumores também estão entre as possíveis causas da síndrome.

SINTOMAS

Dores, formigamento e sensação de choque são os mais comuns. Mas, se o problema não for tratado adequadamente, pode levar a outras complicações. Com o tempo, a síndrome do túnel do carpo dificulta os movimentos, limitando o uso das mãos e causando atrofia.

COMO EVITAR?

Evite ou reduza o número de movimentos repetitivos do punho sempre que possível. Use ferramentas ou equipamentos que tenham sido projetados corretamente para reduzir o risco de danos ao punho.

Utensílios ergonômicos como teclados em duas partes, bandejas de teclado, apoios para digitar e férulas para o punho podem ser usados para melhorar a postura do punho ao digitar. Faça pausas frequentes ao digitar e sempre pare se sentir formigamento ou dor.

Um estilo de  vida  saudável também pode  ajudar a prevenir o problema.

BUSCANDO AJUDA MÉDICA

Dois testes ajudam a estabelecer o diagnóstico: o teste de Phalen e o teste de Tinel.
O primeiro consiste em dobrar o punho e mantê-lo fletido durante um minuto. Como essa posição aumenta a pressão intracarpeana, se houver compressão do nervo, os sintomas pioram.

O teste de Tinel consiste em percutir o nervo mediano. Se ele estiver comprometido, a sensação será de choque e formigamento.
Em alguns casos, é necessário pedir uma eletroneuromiografia para fechar o diagnóstico.

TRATAMENTO

O tratamento leva em conta o grau de comprometimento da doença. Se for leve, indica-se a colocação de uma órtese para imobilizar o pulso e o uso de antiinflamatório não-hormonal. Se não houver melhora, aplica-se cortisona dentro do canal do carpo.
Esgotadas as possibilidades de tratamento clínico, é indicada a cirurgia.

CONVIVENDO/ PROGNÓSTICO

Algumas medidas podem ser adotadas para ajudar a aliviar os sintomas, ainda que temporariamente. Veja dicas:
Faça pausas rápidas de atividades repetitivas envolvendo o uso de suas mãos
Gire os pulsos e esticar as palmas das mãos e dedos
Tome um analgésico vendido sem receita médica para reduzir a dor

Usar uma tala de pulso durante a noite. Talas de pulso estão geralmente disponíveis na maioria das farmácias ou farmácias. A tala deve ser confortável e não muito apertadas
Evite dormir em suas mãos para ajudar a aliviar a dor ou dormência nas mãos e punhos
Se a dor, dormência ou fraqueza persistir, consulte um médico.

Fonte:


22 DICAS PARA PREVENIR LER E DORT

20:59


22 dicas para prevenir as lesões do trabalho

Cadeira:
1 - A altura ideal deve ser de 48 a 58cm
2 - O encosto deve estar a 110° do assento
3 - A cadeira deve ter apoio para a região lombar e dorsal;
4 - Os pés devem ter contato completo com o chão ou apoiados em suporte específico
5 - As coxas devem ficar paralelas ao piso
6 - O trabalhador deve estar próximo da superfície de trabalho
7 - Os braços devem ficar apoiados
Monitor:
8 - A altura ideal da 1ª linha escrita deve ser de 155cm
9 - A tela deve estar ao nível do horizonte ou levemente abaixo
10 - O trabalhador deve localizar-se bem em frente ao monitor
11 - A iluminação deve ser adequada
12 - Use filtro no caso de brilho excessivo
13 - A distância adequada é de 60 cm entre a pessoa e a tela do computador
Teclado e mouse:
14 - A altura ideal deve ser de 110cm
15 - Eles devem localizar-se próximos e na frente de quem vai usá-lo 16 - Os cotovelos devem permanecer em ângulo de 90°
17 - Os punhos precisam permanecer retos
Dicas preventivas:
18 - Realize pequenas pausas rápidas em qualquer atividade que se exerça repetitividade excessiva ou em postura inadequada por tempo prolongado. Intervalos breves e freqüentes são mais eficazes para a recuperação do que um período de descanso igual, tomado de uma só vez.
19 - Durante essas pausas faça alguns alongamentos para as áreas de seu corpo que estiverem executando a tarefa.
20 - Cuide para sempre permanecer com uma boa postura, incluindo a adequação do seu posto de trabalho de acordo com as características físicas e com sua atividade
21 - Não realizar força nem pressão exageradas, repetitivas ou freqüentes em sua atividade
22 - As LER/DORT são curáveis, principalmente nos primeiros estágios. Portanto, procure ajuda.


LORDOSE

20:57


O QUE É LORDOSE?

Lordose é o nome que se dá à curvatura excessiva na coluna espinhal. Diferentemente de outras curvas, a lordose é uma curvatura para dentro. Há também as curvaturas cifóticas, em que as curvas são projetadas para fora da caixa torácica, e as curvas escolióticas, que se referem à uma curvatura lateral da espinha.

Fatores genéticos e ambientais podem promover o desvio patológico da coluna lombar. Hábitos posturais incorretos e obesidade (o excesso de peso obriga a pessoa a jogar o corpo para trás a fim de manter o equilíbrio) agravam o quadro. Traumas, osteoporose, desgaste das vértebras, flacidez da musculatura abdominal e do quadril, encurtamento das cadeias musculares, espondilestese (deslisamento de uma vértebra sobre a outra), sedentarismo e nanismo são condições que favorecem o aparecimento da lordose lombar em qualquer idade.

SINTOMAS

Lombalgia (dor nas costas) é o sintoma típico dessa desordem, especialmente depois de atividades que envolvem a extensão da coluna lombar, como ficar sentado ou em pé, imóvel, por muito tempo, erguer ou carregar objetos pesados sem os cuidados necessários para proteger a coluna.

O fato é que, depois da dor de cabeça, dor nas costas é a queixa mais frequente nos consultórios médicos. Cabe lembrar, porém, que os sintomas da lordose podem demorar para aparecer. Quando surgem, a coluna já pode estar bastante danificada.

O diagnóstico pode ser feito pelo médico ou fisioterapeuta ao observar o indivíduo de lado, numa avaliação física. Nem sempre há necessidade de realizar exames de imagem como o raio X e a ressonância magnética, mas estes podem ser úteis quando existem sintomas, como formigamento na cabeça, braços, mãos ou dedos, ou mesmo sensação de queimação, o que pode indicar uma compressão do nervo que pode estar acontecendo devido a uma hérnia de disco cervical.

TRATAMENTO

Em geral, o tratamento conservador inclui técnicas de fisioterapia, como a RPG – Reeducação Postural Globalizada – exercícios de alongamento e para fortalecer a musculatura e estimulação elétrica. Órteses, como palmilhas e coletes ortopédicos, podem ser úteis para deter a progressão da curva e, na medida do possível, manter ossos e articulações na posição adequada.

O tratamento conservador não exclui o uso de medicamentos anti-inflamatórios, analgésicos e relaxantes musculares para alívio da dor, tais como paracetamol, aspirina, ibuprofeno, dipirona, diclofenaco de  sódio.
A cirurgia para estabilização da coluna vertebral só é recomendada para pacientes adultos em situações muito especiais.

RECOMENDAÇÕES

Os cuidados com a coluna vertebral devem começar na infância. A criança precisa ser estimulada, no dia a dia, a desenvolver uma postura correta, ou seja, aquela que demanda menor esforço muscular para garantir proteção para todas as estruturas da espinha dorsal. Adquiridos esses hábitos, o ideal é que sejam observados a vida inteira. 

Fonte:

segunda-feira, 3 de junho de 2019

BURSITE

19:29

Bursite é uma inflamação das bursas – pequenas bolsas que ficam entre ossos, músculos e tendões. E não, ela não afeta só os ombros. Essa lesão pode atingir e incomodar quadril, joelhos, pés e cotovelos.
CAUSAS

A causa mais comum de bursite é a repetição de movimentos em determinadas articulações ou posições que possam causar danos às bursas. Isso pode acontecer nas seguintes situações:
• Lançar bolas ou levantar algo sobre sua cabeça repetidamente
• Apoiar-se em seus cotovelos por longos períodos de tempo
• Ajoelhar-se por períodos longos de tempo
• Ficar muito tempo sentado, principalmente sobre lugares pouco confortáveis e com superfícies duras
• Alguns bursas, como no joelho e cotovelo ficam logo abaixo da pele. São esses os locais do corpo com maior risco de traumas que podem ocasionar à bursite.

Além do uso excessivo e crônico das articulações, bursite também pode ser causada por traumas ortopédicos, processos reumatológicos, envelhecimento, gota ou por algum tipo de infecção. Algumas vezes, a causa da bursite não pode ser determinada.

SINTOMAS

• Dor;
• Edema (inchaço);
• Inflamação;
• Restrição de movimento.

MEDIDAS E TRATAMENTOS CONTRA O PROBLEMA

• REPOUSO: tem que parar com a atividade que está provocando a bursite.
• GELO: compressas em baixa temperatura ajudam a reduzir o inchaço e a dor.
• ANTI-INFLAMATÓRIOS: aceleram o controle dos sintomas, sobretudo quando gelo e repouso não resolvem.
• FISIOTERAPIA: fortalece os músculos da região para não sobrecarregar as estruturas lesadas.
• ASPIRAÇÃO: parte do líquido acumulado na bursa é extraída com uma seringa.
• CIRURGIA: a remoção da bursa via bisturi é a última e rara opção terapêutica.

RECOMENDAÇÕES

Não se automedique. Analgésicos podem ser contraindicados para mulheres grávidas e pessoas com histórico de úlcera;
Deixe a área afetada descansar o máximo possível;
Faça aplicações de gelo no local;
Procure descobrir as atividades que disparam o processo inflamatório e evite-as;
Faça exercícios de alongamento, fortalecimento muscular e dos tendões ou fisioterapia apenas sob a orientação de um profissional especializado.

ADVERTÊNCIA:

Pressão no peito e dor que se reflete pelos braços e costas podem ser indicativas de um problema cardíaco, e não de bursite. Procure assistência médica para diagnóstico e tratamento, se necessário.




Fonte:
https://drauziovarella.uol.com.br
https://saude.abril.com.br
https://www.minhavida.com.br

ESCOLIOSE

18:41



Escoliose é uma curvatura anormal da coluna para um dos lados do tronco.
Existem vários tipos de escoliose, sendo mais frequente estes três:

·         Escoliose congênita (de nascença)
·         Escoliose Neuromuscular
·         Escoliose idiopática

Vista de frente, a coluna vertebral parece reta. Observada de lado, porém, apresenta curvaturas fisiológicas na região do pescoço (lordose cervical), do tórax (cifose torácica), da cintura (lordose lombar) e da bacia (cifose sacrococcígea), que lhe conferem o aspecto de um S. Essas curvaturas são consideradas normais, porque resultam da adaptação natural do corpo humano a posições adotadas nas diferentes fases do desenvolvimento motor, incluindo o período embrionário e o nascimento. Em outras palavras: elas surgem espontaneamente nas pessoas saudáveis e passam a funcionar como um sistema de molas, fundamental não só para manter o equilíbrio, mas também para aliviar o impacto e a sobrecarga que a ação da gravidade exerce sobre o corpo humano nas posições em pé e sentada.

Tais alterações anatômicas são consideradas patológicas, quando há redução ou aumento acentuado de uma ou mais curvaturas, o que compromete o alinhamento da coluna e prejudica o bom desempenho de suas múltiplas funções. E mais: qualquer desvio numa região da coluna vertebral pode provocar modificações nos outros segmentos para compensar a alteração e garantir o equilíbrio.

Pode-se dizer, portanto, que cifose e lordose são desvios normais da coluna vertebral, essenciais para sua integridade e o funcionamento do organismo. Diferentemente da cifose e da lordose consideradas desvios fisiológicos, normais da coluna vertebral, que só podem ser observados com a pessoa de perfil – de frente a coluna é sempre reta -, a escoliose é uma curvatura anormal da coluna para um dos lados do tronco, determinada pela rotação das vértebras. A deformidade pode ser vista olhando a pessoa de costas.

DIAGNÓSTICO DA ESCOLIOSE
Normalmente, o diagnóstico pode ser realizado através de testes clínicos e de radiografias.
– Raio X;
– Tomografia computadorizada;
– Exames de ressonância magnética;
– Avaliação postural (análise de assimetrias).
 
QUAL PROFISSIONAL DEVO PROCURAR?
O paciente com sinais de escoliose deve procurar por um fisioterapeuta, ortopedista ou clínico geral. São os profissionais habilitados para ajudar no disgnóstico do problema e consequente encaminhamento a melhor forma de tratamento.
 
TRATAMENTO DE ESCOLIOSE
O tratamento depende da causa da escoliose, do tamanho e da localização da curvatura, além do quanto o paciente ainda crescerá. Na maioria dos casos de escoliose idiopática adolescente (com curvatura menores de 20 graus), o tratamento é a observação pois devem ser realizadas reavaliações clinicas e, eventualmente, radiográficas.

Coletes
Na medida em que a curvatura se agrava (acima de 25 a 30 graus em crianças que estiverem em fase de crescimento), o uso de órteses é geralmente recomendado para auxiliar a retardar a progressão da curva. Existem muitos tipos de órteses utilizados. O colete de Boston, o colete de Wilmington, o colete de Milwaukee e o colete de Charleston foram batizados com o nome dos centros onde foram desenvolvidos.

Cada colete tem uma aparência distinta. Existem diferentes modos de usar adequadamente cada um deles. A seleção de uma órtese e a maneira como ela será usada depende de muitos fatores, inclusive das características específicas da curvatura. A melhor opção de órtese será decidida em conjunto pelo paciente e o médico.
Um colete para a coluna não reverte a curva. Em geral se utilizam mecanismos de pressão para alinhar a coluna vertebral dentro do aparelho na tentativa de evitar a progressão da deformidade. O colete deve ser ajustado com durante o crescimento. O uso de colete não funciona para as escolioses congênitas e neuromusculares e é menos eficaz na escoliose idiopática infanto-juvenil.

Cirurgia
Há também a opção da cirurgia para reparação da curvatura vertebral, mas a decisão do momento apropriado para se operar varia. Após os ossos do esqueleto cessarem o crescimento, a curvatura não deve se agravar muito. Por causa disso, talvez o cirurgião queira aguardar até que os ossos do seu filho parem de crescer. Entretanto, pode ser que seu filho necessite de cirurgia antes disso, se a curva na coluna for grave ou estiver se agravando rapidamente. Curvas de 40 graus ou mais geralmente precisam ser operadas.

A cirurgia consiste em corrigir a curva (embora não completamente) e encaixar os ossos dentro dela. Os ossos são fixados no lugar com uma ou duas hastes de metal presas com ganchos e parafusos até que o osso seja recuperado. Às vezes, a cirurgia é feita por meio de um corte nas costas, no abdômen ou abaixo das costelas. Pode ser necessário o uso de uma órtese para estabilizar a coluna vertebral após a operação.

ESCOLIOSE TEM CURA?
Ainda não existe tratamento medicamento para a escoliose, mas algumas técnicas podem colaborar para o seu tratamento. O sucesso vai depender de diferentes fatores, inclusive, da gravidade da curvatura. Mas, normalmente, existe cura pra escoliose, sim. O importante é iniciar o tratamento o mais breve possível, seguindo todas as recomendações do especialista.


Fonte:
https://drauziovarella.uol.com.br
https://www.itcvertebral.com.br
https://www.minhavida.com.br

FIBROMIALGIA

18:16

A fibromialgia caracteriza-se por dor crônica em vários pontos do corpo, especialmente nos tendões e nas articulações. 
A dor da fibromialgia pode ser intensa e incapacitante, mas não provoca inflamações nem deformidades físicas. Entretanto, pode estar associada a outras doenças reumatológicas, o que pode confundir o diagnóstico.
Até pouco tempo atrás, o médico tinha de apalpar 18 pontos dolorosos do corpo para detectar a síndrome. Isso caiu por terra. Hoje são levados em conta os seguintes fatores:

· Dor difusa em cinco a sete partes do corpo por mais de três meses
· Cansaço crônico
· Problemas de memória e concentração
· Insônia e sono não reparador
· Diarreia ou prisão de ventre frequentes
· Vontade constante de urinar
· Suor em excesso
· Sensibilidade ao frio

Os sinais mais visíveis de quem possui essa síndrome são: dores generalizadas, espalhadas pelo corpo e articulações, podendo durar meses; fadiga e cansaço durante o dia; sono prejudicado, em alguns casos o paciente apresenta quadros de apneia ou insônia, problemas cognitivos e alteração da memória, transformando uma simples tarefa de atenção ou concentração em algo difícil de ser realizado. Segundo o reumatologista Dr. Thiago Bitar em alguns casos a fibromialgia pode desencadear um fenômeno vascular chamado Raynaud, que causa alteração da cor das mãos e dos pés quando em situações de estresse ou baixas temperaturas.

CAUSAS

A causa específica da doença é desconhecida. Sabe-se, porém, que os níveis de serotonina são mais baixos nos portadores e que desequilíbrios hormonais, tensão e estresse podem estar envolvidos em seu aparecimento.

SINTOMAS

Dor generalizada e recidivante;
Fadiga;
Falta de disposição e energia;
Alterações do sono que é pouco reparador;
Síndrome do cólon irritável;
Sensibilidade durante a micção;
Cefaleia;
Distúrbios emocionais e psicológicos.

TRATAMENTO

tratamento deve ser feito com um acompanhamento especializado e consiste no uso de medicamentos como antidepressivos, ansiolíticos, analgésicos e relaxantes musculares. Mas, principalmente na prática regular de atividades físicas como aeróbica e anaeróbica. Já a fisioterapia, o pilates e o fortalecimento muscular são grandes aliados para o controle da doença, porém é preciso também ficar atento na alimentação e ter hábitos saudáveis, essas pequenas atitudes farão uma grande diferença no dia a dia do paciente. Não podemos esquecer que é preciso ter uma boa noite de sono, pois ela ajudará muito na qualidade de vida de um portador de fibromialgia.

RECOMENDAÇÕES

Tome medicamentos que ajudem a combater os sintomas;
Evite carregar pesos;
Fuja de situações que aumentem o nível de estresse;
Elimine tudo o que possa perturbar seu sono como luz, barulho, colchão incômodo, temperatura desagradável;
Procure posições confortáveis quando for permanecer sentado por muito tempo;
Mantenha um programa regular de exercícios físicos. Pode parecer contra a intuição, mas o movimento regular ajuda a prevenir crises de dor;

Considere a possibilidade de buscar ajuda psicológica; muitas vezes, quem tem fibromialgia é desacreditado por parentes e até por profissionais, o que pode abalar a saúde mental e agravar o quadro.

Fonte:
https://www.hospitalsiriolibanes.org.br

Naturlatex

Nosso objetivo é o seu conforto melhorando a sua qualidade de vida. Conheça a nossa ampla linha de produtos.